Angela Mourão

 

 

Atriz, bailarina, diretora artística e fundadora do Grupo Teatro Andante há 16 anos. 

Formada em Psicologia pela UFMG, em dança pelo Transforma-Escola de Dança e em teatro pelo Oficina Escola de Teatro.

É professora de expressão corporal e interpretação teatral na Escola de Teatro do CEFAR, Palácio das Artes, Fundação Clovis Salgado.

Principais atividades:
Participa como atriz, preparadora corporal, elaboradora de projetos e produtora, nos espetáculos e como professora nas oficinas do Grupo, além de desenvolver pesquisa sobre máscaras: a do palhaço, a máscara neutra e as máscaras expressivas.

Participa dos seguintes espetáculos com o Grupo Teatro Andante:


“A História de Édipo Rei”
Participação: atuação.
Em cartaz desde junho de 2008, quando estreou em Belo Horizonte. Direção de Marcelo Bones o espetáculo foi agraciado com o Prêmio Myriam Muniz 2008, da Funarte.

“Olympia”
Participação: concepção, atuação e dramaturgia.
Em cartaz desde 2001, com aproximadamente 200 apresentações por todo o país, o espetáculo é um solo de Ângela Mourão, com direção de Marcelo Bones e texto de Guiomar de Grammont. Em 2003 se apresentou em Buenos Aires no encontro Internacional de Teatro Magdalena Latina e ganhou três prêmios no Festival Nacional de Monólogos de Vitória. Em 2006 participou  projeto Palco Giratório do SESC nacional, realizando 35 apresentações em 17 estados do Brasil.

“Musiclown”
Participação: atuação e participação na criação.
Espetáculo baseado no trabalho do palhaço e da música, concebido para rua ou qualquer espaço. Este espetáculo já foi apresentado aproximadamente duzentas vezes e contabiliza público de mais de 100.000 pessoas.  

“Tauromaquia”
Participação: atuação e participação na criação.
Espetáculo de dança-teatro resultado de cursos e pesquisa sobre a dança contemporânea japonesa butoh e a técnica do taan-teatro, estreado em 1996, com diversas temporadas em BH e participação em Festivais tais como o de Inverno da UFMG em 1996, no Festival Nacional de Teatro de Santos e no Encontro Internacional de Linea Trasversale, em 1997. 

“Por Um Triz"
Participação: atuação e participação na criação.
Espetáculo de rua, baseado em expressão corporal, dança e mímica, no qual três palhaças contam a tragicômica história das mulheres e crianças brasileiras. Apresentado dezenas de vezes em Belo Horizonte, numa caminhada teatral pela cidadania nas nove regionais da cidade e em aproximadamente 10 municípios do estado. Estreado em 1994.

“Palhaçadas em Geral”
Participação: atuação.
Espetáculo para rua, ou qualquer outro espaço, de variedades circenses e clown, com inúmeras apresentações entre 1990 e 1995

"Florina e Fusaca"
Participação: Atuação.
Diversos instrumentos: acordeón, flautas, pandeiro, chocalhos. Entre notas e partituras duas palhaças se atrapalham, construindo desde sonoridades avulsas até músicas do repertório popular e erudito.

“O Berro ou Como a Rádio Confusão conta História de Princesa e Dragão”
Participação: atuação.
adaptação do texto literário de Ruth Rocha, para rua ou qualquer outro espaço, estreado em 1992, com temporadas no Teatro Marília, Imprensa Oficial, inúmeras escolas, empresas, em Belo Horizonte e no interior de Minas Gerais e no Festival Nacional de Teatro de Canela, Rio Grande do Sul, em 1989.

Participa de movimentos de intercâmbio tais como Linea Transversale(reunião de teatrantes de vários países do mundo para reflexão e atuação conjunta) e o Projeto Rodamundo (viagens coletivas de intercâmbio e troca de experiências) através do qual participou de viagens artísticas à Itália e Alemanha em 2007 e 2008.

PRINCIPAIS ESPETÁCULOS – COM OUTROS GRUPOS:

 

A Barrigada - direção de Ângela Mourão, no CEFAR – Palácio das Artes. O espetáculo utiliza a linguagem de máscaras teatrais, inspirado na commedia dell’arte, mas realizado com estórias e tipos brasileiros. Estreado em julho de 2003, com aproximadamente 30 apresentações.

Mais Um – leitura dramática: direção de Ângela Mourão. Apresentado em dezembro de 2003 no Ciclo de Acontecimentos Dramáticos, Teatro da Praça, BH.

Vereda da Salvação: diretora assistente.  Espetáculo montado com os alunos formandos do CEFAR –  Fundação Clóvis Salgado. Com texto de Jorge de Andrade e direção de Marcelo Bones, em 2002.


Diversos VT’s publicitários e institucionais para BH, interior e outros estados, com várias produtoras de BH.